ROUBEN MAMOULIAN

Fredric March em Dr. Jekyll and Mr. Hyde (1931)

Dr. Jekyll and Mr. Hyde (O médico e o monstro, EUA, 1932, p&b, horror). Direção: Rouben Mamoulian. Com Fredric March, Miriam Hopkins, Holmes Hebert. Primeira versão sonora da novela de Robert Louis Stevenson. Um respeitável médico (March) faz experiências químicas no próprio corpo e se converte, sempre que ingere sua fórmula, num monstro deformado e perverso, que leva uma prostituta (Hopkins) ao suicídio, de tanto torturá-la física e moralmente. O filme faz das ambiguidades sexuais do texto de Stevenson uma leitura um pouco dirigida, concentrando as perversões sexuais sugeridas, como práticas do monstro, num caso concreto e singular de sadomasoquismo heterossexual patológico – pela própria natureza da imagem, o cinema sempre reduz ao singular concreto o universal abstrato da literatura; e o singular concreto do cinema é sempre determinado pela sexualidade dominante na sociedade. Enfim, mesmo reduzindo o imaginário original a uma paródia do casamento, pervertido nas relações mórbidas entre uma prostituta decaída e um cliente medonho, o filme consegue evocar todo o o horror da monstruosidade latente na sexualidade humana. A máscara simiesca que transforma o rosto de March é muito efetiva, e o ator foi premiado com o Oscar por sua dupla caracterização de médico e monstro.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s