TED TETZLAFF

The Window (Ninguém crê em mim, 1949), de Ted Tetzlaff

Diretor de fotografia de mais de cem filmes, entre os quais clássicos como Notorius, de Alfred Hitchcock, Ted Tetzlaff realizou alguns poucos filmes como diretor. Seu filme mais lembrado é um noir particularmente sinistro: The Window (Ninguém crê em mim, 1949).  Sua trama atualiza a fábula de Esopo sobre o garoto que gritava “Lobo! Lobo!”. Numa atmosfera neo-realista, as crianças pobres de um prédio em ruínas localizado nos sombrios subúrbios de Nova York estão crescendo mais ou menos abandonadas pelos pais. Ainda  isolado de seus colegas devido a uma imaginação doentia, Teddy  (Bobby Driscoll, emprestado pela Disney à RKO) é um menino que mente de modo compulsivo, inventando histórias macabras de crimes e acreditando em suas próprias fantasias. Por isso ele é sempre repreendido pelos pais (Barbara Hale e Arthur Kennedy) , durante as refeições, única hora em que a família parece poder reunir-se.

Numa noite muito quente, Tommy pede permissão à mãe para dormir na escada de incêndio. Como há mais brisa no alto, ele sobre um lance a mais. E ali testemunha, de fato, um assassinato: pelas frestas da janela do apartamento de cima, vê um homem ser esfaqueado por um casal (Paul Stewart e Ruth Roman), que rouba o dinheiro da vítima e depois se desfaz do corpo. Tommy conta o que viu à mãe, que diz que aquilo não passou de um pesadelo: ela o manda dormir e esquecer tudo. Na manhã seguinte, Tommy fala do crime ao pai,  mas este não acredita em suas histórias. O menino decide ir então, sozinho, até à delegacia, onde denuncia seus vizinhos: “Eles parecem pessoas comuns, mas são na verdade assassinos!”. O  delegado de plantão não dá crédito à história, acostumado com garotos mentirosos: fazendo-se passar por um agente da imobiliária que pretende reformar o prédio, ele faz uma ligeira vistoria no local do crime e logo encerra o caso, acreditando na farsa montada pelos assassinos, sempre mais espertos.

Agora, alertados pela visita desse intruso, que eles logo deduzem ser um tira investigando alguma denúncia, os assassinos passam a suspeitar do menino que sabe demais, e planejam matá-lo, caso a suspeita se confirme. Eles precisdam, contudo, agir quando o garoto estiver sozinho, sem os pais no apartamento. Por coincidência, na mesma noite a mãe precisa visitar um parente adoentado, e Tommy terá de passar o resto do dia sozinho. Aterrorizado com essa perspectiva, ele tentar fugir de casa,  mas acaba sendo trancado em seu quarto pelo pai, que trabalha até de madrugada. É nesse momento que o menino, desacreditado por todos, e abandonado por seus pais, recebe a assustadora visita dos vizinhos. As cenas finais, muito bem realizadas, conseguem nos manter com o coração na mão.

Filmografia

World Premiere (1941)

Riffraff / Riff-Raff (1947)

Fighting Father Dunne (1948)

Johnny Allegro (1949)

The Window (1949)

A Dangerous Profession (1949)

The White Tower (1950)

Gambling House (1950)

Under the Gun (1951)

The Treasure of Lost Canyon (1952)

Time Bomb / Terror on a Train (1953)

Son of Sinbad (1955)

The Titanic Incident (1955), episódio do seriado de TV Screen Directors Playhouse (1955)

Seven Wonders of the World (1956)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s